No fim de semana mais 1000 euros caíram na conta da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários. Foi este o valor entregue à corporação local, cujos dirigentes ficaram agradecidos ao benemérito Póvoa Andebol Clube, organizador de duas sessões do Concerto de São Martinho. Ambas com a presença de Vitorino e Camané, duas estelas,  uma do fado, outra do universo da música popular de raiz portuguesa, que encantaram o lotado Cine-Teatro Garrett, o que muito agradou ao presidente José Oliveira Pereira, que disse ao muito público presente (onde pontificavam algumas forças vivas da cidade): “a nossa ambição é aquela que vocês quiserem”. O dirigente subiu ao palco  no final e agradeceu a todos pelo êxito de uma iniciativa que juntou desporto, cultura e solidariedade.

Quanto ao concerto em si, juntou os grandes êxitos de Vitorino, o seu cancioneiro, aos fados de Camané, sem guitarra portuguesa, sendo, porém, os temas envolvidos numa orquestração de  instrumentos de cordas,  sopros e piano, para além da banda de Vitorino, o cantor da boina preta do Alentejo,  que  ainda  mais maravilhado ficou com  a prestação vocal de cerca de uma centena de crianças, “maravilhosas” estrelas da noite, como lhe chamou Vitorino, vindas dos coros  do Grande Colégio da Póvoa de Varzim e do Colégio de Amorim. Brilhou também sonoramente a Orquestra de Cordas Sons do Cávado, sob a direção do Maestro Diogo Costa, criada de propósito para o evento musical.

PARTILHAR